spot_imgspot_img

A nostalgia faz parte de todos nós

Em um mundo cada vez mais dinâmico, em que a informação trafega em uma velocidade incrível, as marcas têm percebido que trabalhar a nostalgia de seus consumidores pode ser um grande diferencial.

Quem nunca sentiu falta de algum produto que comprou na infância e que há muitos anos desapareceu das prateleiras dos supermercados?

Há algum tempo, diversas marcas relançaram produtos que foram descontinuados. Esse é o caso, por exemplo, do relançamento do Super Nintendo, do Nokia 3310 (aquele que tinha o famoso jogo da cobrinha) e do chocolate Surpresa, da Nestlé.

Todos esses relançamentos têm um objetivo em comum: atingir um grupo de consumidores que viveu em uma determinada época e foram atingidos por um certo comportamento, trabalhando a sua nostalgia.

Hoje em dia, diversas empresas estão apostando na nostalgia de seus consumidores para se reposicionar no mercado e aumentar o volume de vendas. Se você quer saber mais sobre essa poderosa tendência de mercado, continue lendo este artigo.

A nostalgia faz parte de todos nós.

Dentre a vasta gama de sentimentos das pessoas, talvez a nostalgia seja um dos mais poderosos. Ela é capaz de despertar em nós uma série de boas sensações, principalmente quando nos leva a um tempo em que as coisas eram mais simples.

Você pode perceber o quanto a nostalgia faz parte da vida das pessoas ao observar, por exemplo, as redes sociais. As pessoas gostam de postar fotos de bons momentos do passado e, para isso, já foi até criada uma hashtag especial: a throwback thursday ou, simplesmente, #TBT.

As empresas têm aprendido a utilizar esse sentimento a seu favor no sentido de alavancar as suas vendas. Na atual velocidade que as coisas têm acontecido, as pessoas tendem a querer retornar a um momento em que tudo era mais simples.

No entanto, o que fazer para compreender e colocar em prática uma estratégia focada na nostalgia? Existem três pontos que precisam ser destacados e você confere isso a partir de agora.

O poder da tradição

Empresas tradicionais do passado têm ressurgido recentemente com novas versões de seus produtos de maior sucesso.

É o caso da famosa marca de games Nintendo, que recentemente relançou uma versão compacta de seu clássico videogame dos anos 1990 ou da Nokia, que relançou um dos seus maiores sucessos em uma versão totalmente remodelada.

O que essas marcas têm em comum? Ambas já foram bastante tradicionais em seus mercados.

Talvez você não tenha tido um Super Nintendo, mas conhece alguém que já zerou várias vezes o famoso game Super Mário World. Talvez você nunca tenha tido um celular Nokia, mas certamente já ouviu falar no famoso jogo da cobrinha.

Esses relançamentos servem para chamar a atenção das pessoas novamente para a marca, que pode se aproveitar deles para apresentar novos produtos para o mercado.

Essa foi a estratégia da Nintendo, que aproveitou o relançamento do SNES para apresentar o seu novo serviço de jogos clássicos para o seu novo console Nintendo Switch.

A nostalgia e o pertencimento

Ao tratar a nostalgia como uma estratégia de marketing, é importante trabalhá-la no sentido de demonstrar a seu público a importância que algo teve em seu passado. Dessa forma, a empresa deve buscar a criação de laços emotivos entre o público e o seu produto.

Mesmo que uma marca não esteja no mercado há vários anos, ela já pode começar a trabalhar alguns aspectos de pertencimento para com o seu público que, no futuro, podem permitir o uso de estratégias com base na nostalgia.

Para isso, aposte na humanização de sua marca e busque maneiras de aproximar o seu público dela. Uma forma simples de fazer isso é mostrar que a marca tem referências em comum com o seu público consumidor.

A nostalgia como tendência de mercado está em alta nos últimos tempos e muitas empresas já consideram essa estratégia como uma ótima forma de gerar lucro. Então, lembre-se disso ao elaborar a sua próxima campanha.

- Publicidade -

Assuntos Relacionados

Destaque Lojas e Serviços

Leia Também

- Publicidade -

Instagram

- Publicidade -