spot_imgspot_img

Causas da falta de foco ou concentração

No post anterior falamos sobre crianças agitadas e hiperativas e uma das maiores dificuldades para as crianças é ter foco e concentração. Aqui irei citar algumas possíveis causas para a falta de concentração e foco.

Como identificar problemas de concentração?

Para efetuar esta avaliação é preciso estar atento aos sintomas. Pode-se dizer que uma criança tem problemas de concentração quando:

– Tem dificuldades de aprendizagem na escola;
– Não ouve sempre que falam com ela;
– Tem dificuldade na manutenção de níveis contínuos de concentração e de persistência nas tarefas;
– Apresenta ansiedade, problemas de comunicação, de relacionamento e comportamentos inadequados;
– Distrai-se frequentemente;
– É desorganizada e esquece-se facilmente das coisas;
– Tem dificuldade em concluir tarefas;
– Demonstra ter baixa autoestima e autoconfiança.

As crianças que apresentam estes sintomas são usualmente diagnosticadas como tendo TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade), sendo inclusive medicadas em função de uma eventual disfunção cerebral caracterizada pela falta de dopamina na região do córtex pré-frontal, que afeta o normal desenvolvimento das funções executivas do cérebro.

Identificar as causas da falta de concentração

É fundamental fazer uma análise prévia das causas que podem estar a contribuir para que a criança tenha maiores dificuldades de concentração. Ao trabalhar sobre a sua origem pode ser possível reverter, em muitos dos casos, esse estado de défice de atenção.

Algumas das causas:

– Causas emocionais: situações com elevada carga emocional tendem a desgastar a criança, impedindo-a de ter força e capacidade para manter a concentração.

– Descanso e sono deficiente: quando não damos ao nosso cérebro o tempo de descanso que necessita, seja por falta de tempo ou por motivos de stress, ele não funciona bem. Os problemas de concentração são um dos efeitos mais óbvios que resultam da falta de sono e descanso.

– Fome e má alimentação: a fome é uma sensação muito desconfortável que o corpo ativa para avisar que faltam os nutrientes e energia. Essa sensação de fome também retém a capacidade de concentração. Por outro lado, uma má alimentação, com excesso de alimentos processados, resulta na ausência de nutrientes essenciais ao correto funcionamento do cérebro.
Há alimentos (mais açucarados) que estimulam a agitação na criança, estado este que é inimigo da concentração. Sendo alimentos de absorção rápida, fazem com que a sensação de fome regresse mais cedo. Deste modo, é fundamental escolher alimentos que para além de nutrir o cérebro, também prolongam o período de saciedade.

– Preocupações e ansiedade: a preocupação absorve os pensamentos e retira o foco. Mesmo sendo situações momentâneas, crianças ansiosas tendem a preocupar-se excessivamente, reduzindo assim a sua capacidade de concentração.

– Dor física: a concentração diminui na presença de dor física contínua, seja devido a lesão ou dor crónica.

– Medicação: alguns medicamentos podem causar a diminuição da capacidade de concentração.

– Ambiente de trabalho/estudo: havendo muitas distrações, tais como ruído, pessoas a falar ou demasiados objetos ao redor, é provável que as crianças fiquem mais distraídas.

– Capacidade de concentração: a concentração é como um músculo e como qualquer outro músculo, também pode e deve ser treinada.

Priscila Oliveira - Super Kids
Psicopedagoga que comanda a SUPER KIDS. Alfabetização e aulas de português. Treinamento das habilidades cognitivas e socioemocionais, como memória, concentração, foco, atenção, autoestima e criatividade; essenciais para melhorar resultados escolares, com uma metodologia lúdica e inovadora.
- Publicidade -

Assuntos Relacionados

Destaque Lojas e Serviços

Leia Também

- Publicidade -

Instagram

- Publicidade -